Se iniciar uma obra do zero pode sair caro, realizar consertos em um imóvel expõe o proprietário/administrador a surpresas e até dores de cabeça. Por isso, muitos ficam na dúvida entre reforma e construção quando é preciso realizar benfeitorias em salas e espaços comerciais.

A dificuldade de encontrar um profissional de confiança e a falta de tempo para acompanhar as etapas da obra são outros fatores que geram insegurança sobre qual medida tomar para garantir a segurança, eficiência e valorização do bem.

Em função disso, separamos algumas informações para que você compreenda — definitivamente — as vantagens de reformar ou construir. Boa leitura!

O processo da reforma de um imóvel

Quem opta pela readequação do ambiente, seja uma loja, sala comercial ou empreendimento de grande porte, precisa considerar as condições estruturais existentes. Danos significativos na concretagem, com ferros expostos e enferrujados podem custar caro e não compensar a reforma.

Após essa análise inicial, é preciso levantar outros aspectos do local. Em construções com mais de 20 anos, por exemplo, é preciso trocar a fiação elétrica, canos e tubulações comprometidas, portas, telhados e esquadrias de madeira danificadas pela umidade ou cupins. 

É preciso calcular também os custos com alterações em paredes e áreas molhadas, bem como avaliar se os acabamentos que serão empregados possuem a durabilidade exigida pelo alto tráfego. Destoando das superfícies não contempladas pelos reparos, seu imóvel pode perder o valor de mercado e passar uma má impressão para os frequentadores.

As etapas para construção na planta

Ao iniciarmos uma construção, é preciso considerar uma série de despesas que não aparecem durante a reforma, como a própria compra do terreno ou demolição da estrutura anterior, gastos com documentação e alvarás, bem como os desembolsos com terraplanagem, fundação e estruturas.

Ambas opções certamente passarão pelas fases de alvenaria, elétrica, hidráulica e acabamentos. Porém, entenda que as etapas de construção partem do início, prolongando a duração da obra e exigindo um acompanhamento mais próximo para evitar desperdícios e retrabalhos. 

Geralmente a execução de um imóvel ou ponto comercial — com responsabilidade e eficiência — exige investimentos na elaboração de um bom projeto, planejamento da construção, contratação de mão-de-obra especializada, bons fornecedores e gerência apurada dos custos e prazos.

A escolha ideal entre reforma e construção

Para definir o melhor caminho, é preciso considerar alguns aspectos práticos, como os impactos da obra — tanto para o meio quanto para os negócios —, o levantamento dos gastos em cada opção e qual será a valorização pós-obra.

Reformar pode ser mais rápido, reaproveita materiais e diminui resíduos, enquanto construir permite uma otimização do terreno, melhor aproveitamento da luz natural e modernização de todos os ambientes. A decisão pode ser mais acertada se optarmos pela análise de um profissional ou equipe de engenharia. 

Além de emitir os laudos necessários para respaldar a decisão, os técnicos desenharão um planejamento da obra, estipulando as etapas necessárias para cada caso, datas de início e término dos trabalhos, oferecendo suporte de fornecedores e materiais, bem como relatórios sobre o custo acumulado, que facilitam a coordenação do projeto.

Nossa missão foi esclarecer as diferenças entre construir e reformar um imóvel, trazendo a expertise de ramo para auxiliar sua tomada de decisão. Lembre-se também de consultar um profissional de engenharia caso surjam dúvidas. Isso vai garantir um empreendimento valorizado e que atenda as normas vigentes.

Gostou de aprender mais sobre reforma e construção? Então acompanhe nosso trabalho no Facebook, Instagram, Linkedin e fique por dentro das melhores práticas em construção, reformas e manutenções prediais.

Comments 0

Leave a Comment